segunda-feira, 6 de abril de 2015

Critica de Velozes e Furiosos 7

Até onde podemos diferenciar se um filme é divertido ou absurdo?



Abram alas para aquela volta em uma montanha russa radical sem usar travas se segurança. Esta é a sensação de assistir Velozes e Furiosos 7, um filme sem qualquer compromisso com a física ou lógica e mesmo assim garante momentos divertidos com muita adrenalina.

Desde o primeiro filme, de 2001, já sabíamos que aquele filme seria o inicio de uma franquia. Mesmo após o segundo (que eu acho o mais fraco de todos) os produtores insistiram em colocar mais e mais aventuras para nossos heróis, fazendo assim quase que uma série de ação onde cada episódio tem em média 2 horas.

Mesmo que ao longo da história do cinema, tivemos mais títulos com o nome de "Fast and Furious" como o filme de 1939 com o título traduzido para "Um Casal Como Poucos". Não podemos, claro, dizer que a franquia atual seja refilmagem ou faça parte de outros filmes com o mesmo nome, como outro filme que foi lançado em 1955 e mais alguns.

 1939 e 1955

Gostando ou não, temos que admitir que a franquia de Velozes e Furiosos iniciada em 2001, é entretenimento voltado para o público masculino. Embora, claro, muitas mulheres adoram estes filmes, fica evidente que a proposta é sim masculina. O que vemos em cena são carrões que fazem muito barulho, mulheres bonitas com pouca roupa e ação desenfreada que filme após filme ganha ainda mais sequencias desafiadoras para acreditarmos que alguém sairia vivo (mesmo que dê tudo certo).

O que mais me incomodou para este filme foi a direção, realmente James Wan (mais acostumado com alguns filmes de terror atuais) falhou, não consegue manter a câmera quieta e as cenas de luta ele conseguiu estragar fazendo cortes tão rápidos que mal conseguimos entender o que está acontecendo (coloco isso como um imenso desperdício por conta da presença do mestre Tony Jaa). Talvez, se Justin Lin estivesse no comando, o filme mereceria mais críticas positivas (como no filme 6 comandando por ele, que apesar de cenas também muito absurdas, pudemos ver o trabalho do diretor que domina muito melhor o tema).

Claro, a proposta de Velozes e Furiosos 7 é provar que 2+2 é igual a "5" e quem discorda, que procure outro filme para assistir. A moral do filme não é provar que saltar de um prédio para outro com um carro e usar a manobra de rolar no chão para se salvar é possível, o filme é DIVERSÃO, como eu disse no início, é uma volta na montanha russa radical sem usar trava de segurança.

Pontos positivos? As presenças de Tony Jaa, Kurt Russel, Jason Statham e Lucas Black (o protagonista do 3° filme) fizeram o filme ficar muito divertido e certamente a homenagem pra Paul Walker consegue arrancar lágrimas do mais durão dos machões de plantão. Justa homenagem para aquele que sentimos a perda na tela e fora dela para aquele grupo que está junto a tantos anos.

Um filme não muito aconselhável para levar a namorada ou a gatinha que você quer conquistar, afinal não é um filme de ficarem abraçadinhos, dividindo uma pipoca. Com as cenas desse filme, a pipoca vai voar longe. Divirta-se no cinema reunindo seu grupo de amigos e gritando "WOW".



Velozes & Furiosos 7
 
Obs. Meu favorito ainda permanece o 3° filme: Velozes e Furiosos - Desafio em Tóquio, e o seu?
Daniel Fontebasso
(Designer e diretor de curtas)
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gostou? Comente: