quinta-feira, 4 de janeiro de 2018

Crítica de Viva - A Vida é uma Festa


Sinopse: Miguel é um menino de 12 anos que quer muito ser um músico famoso, mas ele precisa lidar com sua família que desaprova seu sonho. Determinado a virar o jogo, ele acaba desencadeando uma série de eventos ligados a um mistério de 100 anos. A aventura, com inspiração no feriado mexicano do Dia dos Mortos, acaba gerando uma extraordinária reunião familiar.




Lembro de todo o alvoroço que se fazia quando a Pixar ia fazer um lançamento. Toy Story, Mostros S.A, Procurando Nemo, entre tantos outros, ou até mesmo os curtas sempre exibidos antes dos longas. Era sempre muita expectativa que foi desaparecendo com lançamentos medianos e até mesmo fracos, não tirando os avanços tecnológicos e qualidade que sempre são impressionantes, mas falhando no que mais importa, o roteiro, entre sequencias que tentaram o embalo do original ou lançamentos sem tantos atrativos. A própria parceira, Disney, conseguiu se estabelecer novamente como a grande produtora de animações, agora também mergulhando de cabeça definitivamente no 3D.

Viva - A Vida é uma Festa é uma nova investida para a Pixar, o filme é divertido, tocante, com personagens que ficam fáceis em criar uma identidade com o público.

Quem assiste o filme ainda nota o quanto é envolvente a história do protagonista Miguel, que infelizmente escolheram um nome muito clichê para o personagem, mas esse é o "menor dos problemas". tendo em vista que é a primeira animação dos estúdios Disney/Pixar dedicado 100% à cultura mexicana. Desde o início, o filme apresenta diversos elementos do país e seu povo como os mariachis, as telenovelas e a devoção ao Día de los Muertos. Tudo isso é sensacional.

O filme é muito tocante ao mostrar o personagem sofrendo um preconceito até comum por ter vocação para a música e também tratar de assuntos delicados como morte e perdas.

Tecnologicamente, o filme revoluciona, como já é de praxe da Pixar. Mesmo com lançamentos muito fracos como Carros 2, Valente e Procurando Dory, convenhamos, eram lindos e impressionantes no visual. A diferença em Viva - A Vida é uma Festa é que consegue ser ainda mais bonito que todos os outros, além de um roteiro muito bem feito.

Altamente recomendado, Viva - A Vida é uma Festa vale cada centavo do ingresso nos cinemas, até mesmo arrancando lágrimas de alguns na plateia. Acima de tudo, o filme não tenta nos empurrar causas sociais, vitimismo ou qualquer outro tema polêmico. Apenas se ajeite na poltrona e curta um bom filme.

TRAILER DO SITE ADORO CINEMA:



Daniel Fontebasso
(Crítico e Diretor de Curtas)

Acesse e se inscreva no melhor e mais divertido canal de cinema do Brasil: FONTECINEMA 






Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gostou? Comente: