domingo, 8 de dezembro de 2013

Crítica de Últma Viagem a Vegas

Juntar Michael Douglas, Robert De Niro, Morgan Freeman e Kevin Kline em um mesmo filme deve ser algo complicado, tendo em vista de que são quatro daqueles atores únicos e veteranos do cinema.

Mas o filme em questão, justifica unir essas lendas da sétima arte?

Sinopse: Billy (Michael Douglas), Paddy (Robert De Niro), Archie (Morgan Freeman) e Sam (Kevin Kline) são amigos desde a infância e hoje são senhores de idade. Quando Billy, o solteirão do grupo, decide enfim pedir em casamento sua namorada de trinta e poucos anos, ele e os amigos resolvem viajar até Las Vegas para reviver a juventude e curtir uma tremenda despedida de solteiro. O que eles não imaginavam é que a Las Vegas atual seria bem diferente da cidade que eles conheceram décadas atrás.

Se exageros, são quatro dos grandes representantes do cinema:

Kevin Kline - Oscar em 1989 por Um Peixe Chamado Wanda
Michael Douglas - Oscar em 1987 por Wall Street
Morgan Freeman - Oscar em 2005 por Menina de Ouro
Robert De Niro - Oscar em 1980 por Touro Indomável e em 1974 por O Poderoso Chefão - Parte II

Qual a primeira coisa que passa em nossas cabeças assim que falamos de um filme sobre quatro homens fazendo uma despedida de solteiro em Vegas? Se Beber Não Case!!! Outro filme que fala exatamente sobre o mesmo gancho para uma história.

Seria Última Viagem a Vegas, um Se Beber Não Case da terceira idade? A resposta é "não"! A semelhança talvez fique mais em pela competência dos protagonistas de transformarem momentos e diálogos ruins piadas engraçadas.

Última Viagem a Vegas é um filme com uma proposta simples, que é mostrar o divertimento dos quatro amigos veteranos. Las Vegas, neste caso, é apenas o pano de fundo que nos faz imaginar que todos americanos se divertem apenas lá, mas ver esses caras sentados dividindo uma cerveja em uma mesa de um bar de esquina, teria o mesmo efeito de nos entreter e arrancar algumas risadas.

Em determinado momento caímos em certas mesmices e clichês, mas isso já era o esperado. O filme nos dá bons momentos para rirmos e refletirmos. É um bom divertimento, que repito, nos trouxe a honra de vermos esses grandes nomes do cinema juntos. Talvez com atores de menor escalão, o filme seria um desastre por não nos apresentar nada de novo, tudo o que vemos neste filme, já vimos antes muitas vezes.

Saudosismo ou não, o filme não é o melhor do ano, mas nos diverte.

Um comentário:

Gostou? Comente: