quinta-feira, 4 de abril de 2013

Diretor do primeiro Duro de Matar vai para a cadeia

 Uma foto exclusiva do diretor John McTiernan se despedindo no portão da prisão de seus dois filhos, Jack, de 10 anos e Truman, 12.



Ele foi implicado no caso do investigador particular Anthony Pellicano, que foi preso por fazer escutas ilegais em telefones alheios a pedido de seus clientes. Um desses clientes, sim, era McTiernan, que mandou grampear o telefone do produtor Charles Roven durante a produção de Rollerball.

McTiernan se entregou às autoridades federais em Yankton, Dakota do Sul na quarta-feira para cumprir uma pena de 12 meses por perjúrio e de mentir para o FBI como parte do escândalo de escutas telefônicas.

Ele está cumprindo sua pena em uma prisão de segurança mínima. McTiernan foi recentemente viver em um rancho em Wyoming com sua esposa e dois filhos.

Em uma entrevista, Gail McTiernan afirma que seu marido, foi condenado por fazer declarações falsas a um agente do FBI, não sabia a quem ele estava falando, quando ele inicialmente falou ao telefone com agentes federais.

Ela disse que um agente não se identificou corretamente a McTiernan.

"Isso não pode estar acontecendo neste país", disse Gail McTiernan.

McTiernan não fala com a mídia, e sua esposa, disse que pode ter sido um erro. "Eu acho que John teria sido, talvez, melhor servido se ele tivesse falado com os meios de comunicação mais cedo", disse ela.

McTiernan fez filmes como "Caçada ao Outubro Vermelho", "Predador" e "O Último Grande Herói" e "Duro de Matar".

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gostou? Comente: